De onde vem a cafeína?

 

  Muito provavelmente a cafeína tem sido utilizada, por seus efeitos sobre o Sistema Nervoso Central,

desde o período paleolítico. Há relatos que referem que ela vem sendo consumida há milénios. Os chineses, por  exemplo, já a consumiam no século IV  a.C.  

Nossa cultura actual reconhece que o café, tal como se conhece hoje, seja originário da Etiópia,         difundindo-se através dos árabes para o resto do mundo.

 

O que é cafeína?

A cafeína pertence ao grupo de compostos químicos chamados metil-xantinas, presentes em uma grande quantidade de alimentos (cerca de 60 espécies de plantas no mundo contêm esses compostos) como café, guaraná, cola, cacau ou chocolate, chás e também nos remédios do tipo medicamentos contra a gripe e inibidores de apetite.

 

Para que serve?

Para além de outras coisas ela é usada como estimulante do sistema nervoso central.

0 Corpo humano não necessita de cafeína, embora o seu consumo moderado não esteja associado a nenhum risco à saúde, excepto em algumas situações especiais. Mulheres grávidas, pessoas com problemas cardíacos ou portadores de úlceras estomacais devem reduzir o consumo ou mesmo evita-lo. Para crianças e adolescentes, é necessário controlar o consumo, pois quando consumida em excesso, pode levar a redução do sono, agitação exagerada e até à perda do apetite. Todos os hiperactivos devem evitar a cafeína.

 

 Curiosidades:

É uma substância incluída nos regulamentos de dopping de todas as federações desportivas (doses de 12 mcg/ml) já podem ser consideradas dopping. Essa quantidade é facilmente atingida a partir da quarta xícara de café.

  

 Repara na tabela abaixo as quantidades de cafeína presentes em alguns produtos conhecidos.

 

Quantidade media de cafeína para 2 xícaras de bebida preparada:

 

Chás

Bebidas

 

Quantidade de cafeína

 

Café expresso

250 a 330 mg

 

Café descafeinado

 

1 a 5 mg

 

Café tradicional

40 a 180 mg

 

Café solúvel

 

30 a 120 mg

 

Chá preparado

20 a 110 mg

 

Chá instantâneo

 

25 a 50 mg

 

Chocolate

 

2 a 20 mg

 

Coca-Cola

 

45 mg

 

Pepsi-Cola

40 mg

 

Refrigerantes diversos

2 a 20 mg

 

Chocolates

 

Prós e contras da cafeína:

 

A cafeína não tem só vantagens nem só defeitos. O segredo para aproveitar as suas qualidades e evitar os seus defeitos nefastos passa pela moderação do consumo.

 

Prós:

· A cafeína pode ajudar a manter-te desperto e num estado de alerta;

· Pode aumentar a boa disposição e reduzir a fadiga;

. Uma simples chávena de café pode ajudar-te e respirar melhor se sofreres de asma;

· A cafeína está presente na maioria dos medicamentos para as dores de cabeça, pois esta alivia-as;

· É fácil abandonar o hábito da cafeína sempre que sentimos estar a ficar demasiado dependentes;

· Novos estudos têm associado a cafeína ao tratamento de algumas doenças, mostrando já haver algum efeito positivo na prevenção do Mal de Parkinson e na prevenção de cancro de pulmão entre os fumantes;

 

Contras:

· Podemos ficar dependentes da cafeína após um longo período de uso intensivo;

· Se deixarmos de consumir cafeína de repente, podemos sofrer de ressaca: dores de cabeça fortes e entrar em depressão;

· A cafeína pode interferir com o sono e provocar insónias;

· Em excesso pode provocar: nervosismo, irritabilidade, estado de ansiedade e, em alguns casos, tremuras nas mãos;

· Pode aumentar a tensão arterial e o ritmo cardíaco e aumentar o risco de enfarte;

· A cafeína pode provocar problemas estomacais e, se ingerida em grandes quantidades, diarreia;

· Quando o organismo se habitua a quantidade usada, torna-se menos eficiente a cada dia que passa fazendo com que o consumidor seja obrigado a aumentar o consumo para obter um efeito idêntico;

· Pode estimular excessivamente o organismo, gerando uma libertação de adrenalina em quantidades perigosas, além de estimular a prática de exercício acima dos níveis seguros;

· Um benefício atribuído ao consumo da cafeína está relacionado à sua capacidade de estimular a lipólise (quebra das moléculas de gordura no organismo), o que, teoricamente, favoreceria o emagrecimento. Porem, essa acção custa caro ao organismo, porque os depósitos de gordura caem na corrente sanguínea, fazendo aumentar os níveis da mesma no sangue. Com isso, pode haver elevação do colesterol sanguíneo;

. A cafeína também possui um potente efeito diurético (estimula a eliminação de urina), prejudicando a hidratação em actividades prolongadas.

 

Para evitar a cafeína podemos procurar nos rótulos de modo a encontrar produtos sem cafeína

 

 Voltar